Quarta, 05 Julho 2017 14:36

Prepare seu aluno para o Ensino Médio

Entenda o momento de transição dos alunos do 9º ano e saiba como ajudá-los nessa fase

Além das transformações que a idade naturalmente traz, é comum que esse momento também seja cheio de mudanças na vida escolar: nova rotina, mais disciplinas e muitas responsabilidades. Consequentemente, os alunos passam por pressões, angústias e ansiedades, que resultam em alto índice de reprovação.

De acordo com o Censo Escolar de 2016, 25,4% dos jovens repetiram ou abandonaram o 1º ano do Ensino Médio, porcentagem recorde de reprovação e evasão no país. Para reduzir esse número, escolas, pais, professores e pedagogos têm se envolvido cada vez mais para tornar essa transição menos traumática. Separamos algumas dicas que podem ajudar, você, professor, a apoiar seu aluno:  

Antes de tudo, ouça
Pergunte aos seus alunos quais são as principais dúvidas com relação ao Ensino Médio. Provavelmente você escutará:

  • O que se estuda nas novas disciplinas, como química, física, biologia, filosofia e sociologia?

  • Vamos continuar com a mesma turma, os mesmos amigos?

  • Como vamos escolher um curso de graduação, uma profissão?

  • Como são as provas do Enem, vestibular e PAS/UnB?

 Desmistifique as provas
Resolva questões de complexidade fácil e média dos vestibulares com seus alunos. Assim, eles perceberão que a prova não é um bicho de sete cabeças.

Conte com o coordenador
Os coordenadores do fundamental e do médio devem atuar juntos. Eles podem realizar palestras que orientem pais e alunos sobre a rotina do Ensino Médio, o conteúdo das novas disciplinas, Enem, vestibulares, PAS/UnB. Se a escola não oferece Ensino Médio, ela pode incentivar que os pais e alunos visitem, façam uma pesquisa prévia e comparem as dinâmicas de ensino.

O orientador também pode ajudar
Para mostrar que a escolha profissional pode ser algo tranquilo e não um momento de “vida ou morte”, os orientadores podem realizar testes vocacionais e dinâmicas para eles começarem a conhecer diversas carreiras de uma forma leve. Levar profissionais de várias áreas para palestrar sobre como é o dia a dia da profissão pode ser também uma excelente maneira de auxiliar e relaxar os alunos. Quanto antes o aluno começar a pensar no assunto, mais fácil será para ele amadurecer a ideia.

IMPORTANTE: a forma como tudo isso será tratado pela equipe pedagógica pode ser determinante para o empenho do aluno no Ensino Médio.

 

Referências:

Do fundamental para o ensino médio: uma transição sem tumulto – Gestão Escolar

O papel do coordenador no fundamental 2 e no ensino médio – Gestão Escolar

Do ensino fundamental para o médio – Estadão Educação

A transição entre o ensino fundamental e o ensino médio – Papo de Mãe, TV Brasil

5 dicas para facilitar a transição do ensino fundamental 2 para o ensino médio – Net Educação

Publicado em Notícias

Cinco passos básicos para elaborar avaliações significativas para o aluno e para o professor.
 
PROVA. Uma palavrinha de duas sílabas que tem um peso imenso na mente tanto do aluno, quanto do professor.
 
Muito antes do aluno passar pela pressão de ser avaliado, o professor é desafiado a formular uma avaliação que seja justa com todas as turmas; adequada no formato, muitas vezes, estabelecido pela escola; sintetizada com relação ao conteúdo, já que o aluno terá pouco tempo para respondê-la.
 
Pensando nesse desafio, reunimos aqui cinco passos que vão ajudar você a elaborar uma avaliação significativa.
 
Foco: avaliar e não classificar
O mais importante a se refletir é que qualquer tipo de avaliação escolar, seja um trabalho em grupo, individual, provas multidisciplinares ou discursivas, consiste num objetivo: diagnosticar o que foi aprendido pelo aluno e, assim, mostrar em quais aspectos o professor deve adequar sua metodologia para extrair o melhor desempenho dos estudantes.
 
Estudos e especialistas não recomendam que as avaliações tenham como foco classificar os alunos com comparações de desempenho entre si, mas sim mensurar o desenvolvimento individual mostrando o que cada aluno tem mais dificuldade ou mais facilidade.
 
Passo 1: Reveja o que foi apresentado em sala de aula
Antes de começar a elaborar a avaliação, dê uma olhada no seu planejamento de aula e relembre como o conteúdo foi abordado. Neste momento é importante refletir: todos os temas foram igualmente explanados em todas as turmas? Quais temas não foram bem desenvolvidos nas aulas e nos exercícios? Quais são os temas mais relevantes e essenciais que o aluno aprenda?
 
Passo 2: Faça uma revisão objetiva com os alunos
Após saber quais conteúdos podem ou devem entrar na avaliação, prepare uma aula de revisão que seja objetiva e produtiva para os alunos.
 
Enfatize os aspectos mais importantes do conteúdo estudado no período, dando a eles o mesmo nível de detalhamento ou aprofundamento que você espera ver nas respostas dos alunos.
 
Selecione exercícios semelhantes às questões que você planeja inserir na prova, para que eles já se habituem com o tipo, formato, linguagem e grau de dificuldade.
 
Passo 3: Formule questões com diferentes graus de dificuldade
Há professores que sentem orgulho ao preparar uma prova apenas com questões dificílimas para o aluno, e outros preferem manter todas as questões num nível fácil para garantir que muitos consigam notas altas. Em nenhum dos casos, esses professores atendem às reais necessidades do processo de aprendizagem.
 
Quanto mais diversas forem as avaliações, haverá maior probabilidade do resultado final ser justo. Por isso, é preciso dar ao aluno a oportunidade de ser avaliado em diferentes níveis e em diferentes situações. Ele pode responder corretamente a uma pergunta difícil numa avaliação simples, com pouco peso na nota final, mas pode errar uma pergunta fácil numa prova escrita que vale metade da nota, por conta da pressão psicológica do momento.
 
Permita que os alunos expressem seus conhecimentos em questões que vão desde o nível mais básico ao mais aprofundado sobre o tema.
 
Passo 4: Defina os critérios de avaliação
Pode parecer desnecessário dedicar-se a esse passo, mas critérios de avaliação bem definidos e, se possível, documentados facilitam a vida do professor na hora da correção e são um respaldo para o profissional caso haja recursos.
 
Você pode criar os seus critérios de avaliação com base numa matriz de Conhecimentos e Habilidades (ex.: Enem), mas também respondendo a perguntas como estas:
• Qual o objetivo dessa questão que inseri na prova?

• Com qual conhecimento prévio eu quero que o aluno relacione?

• Que tipo de resposta eu espero do aluno?

• Há palavras-chaves que a resposta deve conter? 

 
Passo 5: Formule questões com clareza
Dependendo da prova, você tem liberdade para escolher vários tipos de questões, como múltipla escolha, verdadeiro ou falso, resposta longa ou resposta curta. Em todos eles é essencial prezar pela clareza. Para isso, EVITE:
• Pegadinhas, para que o aluno pense uma coisa e responda outra;

• Perguntas longas e confusas, em que o aluno demora mais tempo para entender o comando que para elaborar uma resposta;

• Linguagem e termos incompatíveis com a fase escolar do aluno;

 
Com esses cinco passos, a sua avaliação será uma ferramenta eficiente para diagnosticar o nível de conhecimento dos alunos e mostrar a você, educador e educadora, em quais pontos você pode melhorar em suas aulas.
 
Referências:
Como elaborar provas que ajudam na aprendizagem – Revista Gestão Escolar
O professor, a aprendizagem significativa e a avaliação: base para o sucesso escolar do aluno – Artigo de Rosa Maria Cavalcanti Brito
O professor e a avaliação em sala de aula – Artigo de Bernadete A. Gatti
O 10 é relativo – Reportagem da revista Linha Direta, Edição 227, Ano 20, Fevereiro de 2017

 

Publicado em Notícias
Quinta, 11 Dezembro 2014 16:48

Filosofia do Hoje, Ensino Médio - Volume 1

Escrito pelo experiente professor Sormany Fernandes, o livro explica a Filosofia com base nas problemáticas atuais. Mais do que ensinar a história dessa ciência, Filosofia do Hoje traz para o aluno de ensino médio a experiência de refletir sobre si mesmo, sobre o lugar onde mora e sobre o que ele vive atualmente. Tendo como início a abordagem mitológica, o surgimento da filosofia, as áreas de alcance da disciplina, a filosofia clássica e medieval e a temática política da filosofia moderna.

"Para entender você. Para entender o mundo. Para entender o que é entender."

Publicado em Ensino Médio
Terça, 24 Junho 2014 17:31

Baixe nosso acervo editorial

Confira o acervo da Editora HTC e conheça nossos livros didáticos e paradidáticos para o ensino médio e fundamental!

 

BAIXE A VERSÃO COMPLETA AQUI   
Publicado em Notícias
Segunda, 23 Dezembro 2013 20:22

Música Faz, Ensino Médio - V. único

Este livro é destinado aos estudantes do Ensino Médio das escolas do Brasil. É um material didáti co que estava faltando nos materiais de nossos estudantes, tendo em vista ser a música uma disciplina que retorna às nossas discussões (obrigatoriamente) apenas no ano de 2008.

Procuramos atender ao rigor científico exigido no tratamento da Música sem, contudo, torná-la inacessível. Música, antes de um dever, deve ser vista como uma arte prazerosa.

Cada exposição teórica é seguida da resolução de exercícios que complementam e auxiliam no entendimento do texto. Esperamos contribuir para o crescimento intelectual de nossos alunos e propor aqui o início de uma longa caminhada na descoberta do universo musical. Para aprender, é preciso desejar, estar aberto ao desconhecido, enfrentar as dificuldades e, pela perseverança, superar os obstáculos.

Publicado em Ensino Médio
Blog
Google Plus
Slideshare
Boletim
Cadastre-se no site e receba novidades sobre a Editora.
Notícias | ver mais +