Professor por inteiro: como evitar problemas psicológicos

Ser professor não é uma tarefa fácil. Aprender a lidar com pressões diárias, ter que cumprir prazos apertados e dar aula em salas cheias podem causar alguns problemas psicológicos. .

É inevitável enfrentar alguma situação estressante no ambiente escolar, mas saber como superá-la é essencial para descansar bem nas horas livres e melhorar o desempenho de todos dentro de sala de aula. Esses podem ser fatores que influenciam o desenvolvimento de problemas com a voz, distúrbio do sono, irritabilidade, esgotamento físico e emocional e síndrome do pânico, por exemplo.

O estresse é um dos problemas mais comuns nessa rotina corrida que os professores têm. Com ele, vem a perda de memória, a deficiência no sistema imunológico, a insônia e a falta de energia.

Outra consequência da sobrecarga no trabalho é a síndrome de burnout, que significa exaustão física e mental. A síndrome causa distúrbios afetivos e diminui a vontade de lecionar, o interesse pelo trabalho, a autoconfiança na própria capacidade e a energia diária, sendo muito confundida com síndrome do pânico.

Quando não tratada, a síndrome causa queda de cabelo, enxaqueca, dor de estômago, medo, palpitações, angústias e sensação de incapacidade. A síndrome pode afetar diversos profissionais, mas o diagnóstico é mais frequente em profissões que demandam muito da capacidade emocional do profissional.

Para cuidar bem de seu psicológico, fique atento às suas alterações de humor e faça acompanhamentos frequentes com um profissional capacitado. Coloque em sua rotina diária momentos para praticar atividades relaxantes, como exercícios ao ar livre, meditação ou leitura. Cuide-se bem!

 

Fontes:

http://maldeprofessor.blogspot.com.br/2013/03/problemas-que-mais-afetam-os-professores.html

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?idConteudo=38

 

Blog
Google Plus
Slideshare
Boletim
Cadastre-se no site e receba novidades sobre a Editora.
Notícias | ver mais +